segunda-feira, maio 29, 2006

Eton

Um editor da BBC escreveu um livro sobre a história do colégio de Eton. Interessava-lhe, de acordo com o Sunday Times", descobrir como é que "uma escola de rapazes fundada em 1440, com apenas 1290 alunos, um código de vestuário bizarro e propinas de 23 mil libras por ano passou a ser identificada, simultaneamente, com a excelência do ensino e a perpetuação des previlégios grotescos". No livro, aborda-se a fama dos etonianos (antigos alunos). São vistos "como cagões arrogantes, homossexuais no armário, membros de diferentes sociedades maçónicas corruptas ou, no mínimo e como refere Alan Bennett, criaturas exóticas que estão além da compreensão do comum mortal educado nas escolas do estado". E se a verdade é que o cenário não é assim tão mau - os etonianos podem ser "atletas, estetas, santos e pecadores, ladrões e palhaços, heróis ou vilões" - também podia ser melhor. Entre antigos alunos que tombaram em combate nas II guerras mundiais, políticos famosos, músicos ou empresários de sucesso também se pode encontrar nos registos de Eton uma vasta galeria de horrores. Assim, Darius Guppy esteve preso seis anos por tentar encenar um roubo de jóias falsas no valor de um 1.8 milhões de libras; Lord Brocket, um playboy que chegou a ter 42 Ferraris, desmachou quatro dos seus bólides, escondeu as peças e reclamou o seguro quando o mercado de carros antigos se afundou; Lord Luncan desapareceu depois de matar a baby-sitter dos filhos; Simmon Mann está numa prisão depois de ter estado envolvido numa tentativa de golpe de Estado na Guiné Equatorial; Robbie Ferguson, pai da duquesa de Iorque, foi envolvido num escândalo sexual; um juíz ameaçou chicotear em público antigo ministro conservador e etoniano Alan Clark, depois de este ter seduzido a sua mulher e duas filhas. O princípe herdeiro do Nepal também frequentou a escola. Matou toda a família real a tiro e suicidou-se de seguida.
Agora a sério, eu acho que alguém devia avisar o Espada.

2 Comments:

Anonymous propranolol said...

Este seu post é muito interessante. Realmente dá que pensar. É o tal "british paradox". E agora dei comigo a imaginar se Ricardo "Anti-Carrilho" Costa ficaria bem em Eton. Eu acho que ele não terá 42 Ferraris, mas deve ter pelo menos um Aston Martin, um Bentley e alguns Pathek Philippe em ouro e platina. E não creio que ele se interesse por muito mais...

4:43 da tarde  
Anonymous Tiago Damião said...

Porreiro, visite o www.fractura-exposta.blogspot.com

Um abraço

5:22 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home