quarta-feira, maio 24, 2006

Casa Pessoa (1)

Ontem fui mais uma vez à casa Fernando Pessoa assistir ao encerramento do ciclo dedicado ao Mundial. Os três debates foram excelentes, se bem que tenha assistido com mais atenção ao primeiro - sobre o qual escrevo no próximo número da Atlântico- do que aos últimos dois. O de ontem permitiu-me confirmar que o maradona existe (até é mais bonitinho do que eu estava à espera) e recordar, por via de João Querido Manha, o nome de dois entes que fazem parte da minha galeria dos terrores: Igor Sramka e Marc Batta. Um era bandeirinha e o outro árbitro. Lembram-se?

4 Comments:

Anonymous Maquina Zero said...

Parabéns! O rico já escreve na Atlântico? O debate ideológico em Portugal vai renovar-se, sem dúvida...

11:06 da tarde  
Anonymous Colina said...

Juntaram-se dois lagartos e acabaram a falar no Marc Batta, vejam só. Também podiam falar naquele "árbitro chinês" que apitou um Sporting-FC Porto numa final da Taça e no dia seguinte embarcou para a China com os lagartos

11:50 da manhã  
Anonymous Leonel Vicente said...

A verdade é que nunca antes vira (nem nunca depois vi) um jogar ser sancionado disciplinarmente por "retardar" a saída de campo aquando da substituição.

Sobre o penalty do Abel Xavier, tantos penalties terão ficado por marcar...

1:43 da tarde  
Blogger inês said...

PROTESTO:
então vens à casa fernando pessoa não me vens visitar?!?

7:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home