sexta-feira, março 02, 2007

Bento de Elsinore

O Bento não era o Bento. O Bento era o Manuel Galrinho (G-a-l-r-i-n-ho bem sincopado) Bento. Não sei se era ele que defendia o Benfica no primeiro jogo de futebol a que assisti mas tenho quase a certeza que sim. Deve ter sido ele a ajudar o Alberto quando um preto azulebranco chamado Freitas lhe partiu a perna no Jamor. Fez crack e todo o estádio ouviu - nessa altura os altifalantes ainda não passavam a Tieta nos intervalos portanto ouviu-se, muito bem ouvido, no peão ao lado do meu tio Manel, o estalo do perónio do Alberto. Também não tenho a certeza mas é quase certo que era o Bento que defendia o Benfica naquele jogo de velhas e novas glórias cujo os fundos angariados revertiam para a conta bancária do Artur, lateral de bom porte e antecipadamente retirado devido a uma doença grave (adoro esta linguagem médica) do foro neurológico. O dito jogo, no qual o Bento, quase de certeza jogou também servia, e só uma razão de força maior o gravaria na memória, para apresentar ao terceiro anel (que na verdade era terceiro meio anel) o avançado Folha que festejava os golos com um salto mortal. Também não tenho a certeza se era o Bento que jogava na baliza quando o Chalana cavou um penalty (convertido pelo Jordão) que derrotou os comunistas e nos levou a França. Certeza, certeza que era o Bento só tenho em três ocasiões: era o Bento em Saltillo com a perna partida; foi o Bento, com a bola já dominada, que deu uma cabeçada no Manuel Fernandes (o árbitro mandou-o para a rua e marcou penalty contra o Benfica) e era o Bento que ocupava merecidamente o lugar do Damas (esse enorme guarda-redes que uma vez defendeu sem pestanejar um remate de cabeça do Gomes na pequena área) na selecção. Na altura em que o futebol tinha carácter, bigodes, mágicos, guarda-redes suicidas e poucos rapazinhos bonitos (tirando o Néné que nunca sujava a camisola).

Bento de Elsinore na fotografia

2 Comments:

Blogger JH said...

E eles que não tiram fotos em poses delicadas, diziam palavrões, jogam com garra e sem pensar em mostrar a marca das chuteiras e sempre com o fundo da baliza na ponta das chuteiras ... Saudades.

Quantos heróis de bigode sobrevivem?

3:31 da tarde  
Blogger Luis said...

Muito bem. Tudo. O tio manel. E Elsinore.

1:27 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home