terça-feira, junho 27, 2006

Brasil

Eu entendo realmente o saudosismo da equipa brasileira de 82 e 86. É que com excepção de um golo na última fase de qualificação - que imediatamente foi utilizado para fazer o mais genial anúncio da Nike - a equipa de Zico e companhia foi a última selecção canarinha a jogar um futebol divertido. O maradona até se pode desfazer em elogios ao Brasil, às brasileiras, ao Ronaldo, à Ronalda, à Luana Piovani, ao Zeca Pagodinho, ao Jô Soares, ao Pão da Acúçar, à favela do Alemão, ao diabo a quatro que isso não muda nada. A verdade é que se pensarmos nas selecções de 90, 94, 98, 2002 e 2006 só vem uma palavra à cabeça: chato. Tão chato, desculpem a repetição, como estar à espera do autocarro.

4 Comments:

Anonymous s.e. said...

o brasil há muito que emigrou, cruzando o atlântico - só o tuguismo das novelas não percebe isso

7:04 da tarde  
Anonymous cristina said...

Também tinha um Sócrates??!


:)


Nota:tenho que confessar que este é um dos poucos blogues que se vai actualizando hora a hora, e no meu caso à medida dos intervalos no estudo!

7:16 da tarde  
Anonymous Colega da frente said...

inês... isto sem ti está a tornar-se num blogue masculino de futebol. volta depressa!

8:01 da tarde  
Anonymous maria said...

A propósito do Ronaldo o "estado civil" parece que não gostou que alguém lhe tivesse chamado "gordito" e está todo contentinho por ele ser o melhor goleador de Mundiais. O Ronaldo, hoje em dia, parece o Jardel a jogar. Também era um bom goleador mas não se mexia. Pena o "estado civil" não permitir comentários.

3:56 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home