segunda-feira, março 13, 2006

Do relativismo, caso prático

Este texto do Abrupto é muito interessante:

Muito do que se escreve nos jornais sobre Milosevic é feito a partir da lógica do vencedor e do medo que têm os europeus quanto ao recrudescimento do nacionalismo, que a queda do Muro de Berlim trouxe para dentro das suas fronteiras. Se se tratasse apenas de condenar as violações de direitos humanos, Putin devia estar no Tribunal Internacional de Haia, pelo que fez na Chechénia. A história será mais benevolente com Milosevic, pelo menos a da Sérvia.

Agora, imaginem que era assim:

Muito do que se escreve nos jornais sobre Saddam é feito a partir da lógica do vencedor e do medo que têm os europeus quanto ao recrudescimento do islamismo, que a invasão do Iraque trouxe para dentro das suas fronteiras. Se se tratasse apenas de condenar as violações de direitos humanos, Bush devia estar no Tribunal Internacional de Haia, pelo que fez no Iraque. A história será mais benevolente com Saddam, pelo menos a do Iraque.

7 Comments:

Blogger Mais Notas Soltas said...

Lindo! Brilhante! Muito "Bloco de Esquerda"! Nada é certo, nada é errado, tudo é relativo, tudo depende...excepto o que está no programa do partido e aquilo que eu penso. Ora bolas!

5:37 da tarde  
Blogger Roteia said...

Não há nada como colocar as coisas (as palavras) no seu devido lugar. Brilhante!

5:39 da tarde  
Blogger Roteia said...

Juro que o meu "brilhante" não contém a ironia de "máquina zero".
De facto, tudo é relativo.

5:45 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Excelente."Apanhou" muito bem o PP.
A grelha de análise dele é exactamente essa, ou seja nunca mudou, os "culpados" é que são diferentes, segundo os seus preconceitos e afinidades na altura. Ou Mao ou Bush. A CCS num dos ultimos escritos p/o espectro tambem lhe traça a traço fino o carácter, mas isso são outras historias.
No entanto é bom lembrar que o PP sempre esteve contra a intervenção da Nato na Bósnia, não se importando que ela intervenha no Iraque ou no Afeganistão.Agora é só ver quem sofreu e foi chacinado nestes dois conflitos. Os muçulmanos.
É assim o PP, racista, calculista e sempre sempre a favor de quem tenha um livrinho com as regras deste mundo, seja o livro vermelho ou de qualquer outra cor. O que interessa é doutrinar.

6:02 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Note-se que o anónimo anterior se referia ao JPP. É que assim corre-se o risco de confundir o Pacheco Pereira com outra inutilidade, o Paulo Portas. Só que para este, o livrinho nunca poderia ser vermelho...

7:59 da tarde  
Blogger FTA said...

Grande post, João.

1:39 da tarde  
Anonymous pedro vieira said...

isto é literatura, isto é política, isto é tudo e mais alguma coisa, sempre mais do que uma mera ode à perspicácia. Belíssimo post.

12:31 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home