quinta-feira, novembro 03, 2005

Compal II

Continuo sem perceber a que propósito é que o banco público, a CGD, dominado pelo poder político, continua a ter um papel tão activo na (ajuda à) compra de empresas privadas. A mim parece-me um 11 de Março (de 75) camuflado.

4 Comments:

Blogger R.G.S. said...

http://www.newseum.org/todaysfrontpages/flash/

Aqui fica um site que vale a pena... principalmente para quem só lê as "gordas".

Abraços

7:47 da tarde  
Anonymous cocaina said...

E quem disse que a CGD é um banco público?
Parte foi privatizado. É só fazer as contas de quem tem as acções e depois tudo se percebe.

9:44 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

A CGD já era accionista da sumolis atraves de um fundo próprio; faz todo o sentido que alavanque a sumolis para esta crescer e as acções valorizarem; certamente tem um acordo com a sumolis para esta lhe comprar a sua nova posição ganhando uma vultosa mais valia ( estas operações de recompra costumam ser feitas num prazo entre tres a cinco anos); se assim não for então é uma grosseira "negociata"...

11:39 da manhã  
Anonymous Contribuinte said...

É uma negociata e das grossas. A Caixa tem 30 (trinta) Milhões de Euros na Sumol, e para proteger esse dinheiro vai gastar outros 426 Milhões ????
E por acaso gasta mais 100 Milhões que o segundo classificado??
E vai pôr a gerir uma empresa lucrativa quem? A outra, a que perde dinheiro?!!!!
E acha que aqui não há negociata?? Olhe que 100 Milhões dá para comprar muito tabuleiro de xadrez...

12:29 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home