sexta-feira, setembro 01, 2006

O Independente

A coisa que mais pena me faz no fim do Independente - para além das responsabilidades pesadíssimas que ficam para quem o fechou - é o fim do estilo. Aquela coisa de mostrar textos loucos ao Adelino e ao Leonardo e eles explicarem-me, com um tom professoral, que até nem estavam exagerados. Para, depois, fazerem sugestões de legendas ainda mais loucas que se juntavam a títulos, muitos deles do Souto, ainda mais loucos.

Nunca tinha visto. Acho que nunca mais vou ver.

2 Comments:

Blogger Anabela S. Dantas said...

Naaa.. a genialidade não se perde, renova-se!

11:43 da tarde  
Blogger JPT said...

deixei há pouco noutro blog um comentário sobre o independente que falava de títulos-
de que me lembro ainda do jornalista fundador que me dizia, algum tempo antes do número inicial, "este é o projecto da nossa geração" (até do local e das nossas companhias me lembro, belas irmãs). lembro-me também do último número que comprei, para aí há 15 anos. o título ("louco", ao que parece) botava "gangs de negros" à solta nos arrabaldes de lisboa, no apelo à paranóia securitária, feita racista (ou de tal indutora). lembro-me bem do "para esta cloaca não dou mais" que botei.

tenho pena que tenha acabado (se hoje se antes não sei). tenho pena da minha geração ter passado, se é que me entende. e tenha patinado assim

10:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home