sábado, março 04, 2006

O vómito, agora na Net, perto de si

Um destes dias, decidi comentar um post assinado por uma criatura auto-designada valter hugo mãe, que bolsa irregularmente no blogue Da Literatura. O desconchavo argumentativo da criatura acerca do suposto carácter de Che Guevara - prontamente aplaudido pela acefalia blogosférica do costume [está tudo linkado no fim do tal post] - era de tal ordem que merecia dois ou três apontamentos.
Passados uns dias, vem o catraio gozar com a malta, que era uma coisa assim a não se perceber bem o quê e que o que realmente lhe interessava eram as mamas da vizinha.
Graças à parte, uma simples busca no Google leva-nos a um bloge chamado objecto cardíaco, tasca conexa de uma editora do mesmo nome, tudo propriedade do tal valter. Acontece que a dita editora editou, entre outras vomitadelas, um cagalhoto chamado Dorme Cá Hoje, colecção coisas de ignição, que ostenta na capa o presumível autor, presumo eu [será o valter?], envergando... uma t-shirt com... txanam... Che Guevara.
Ao longo dos anos, já me sairam a terreiro criminosos de toda a espécie. Faltava-me para a colecção, um pantomineiro intelectual. Ei-lo. A quem mais subiria à tola a incomentável ideia de fazer um texto sobre Che Guevara, com links à oposição cubana e tudo, apenas com o fito de promover o albergue de edição que o alimenta?
valter hugo mãe. Registem o nome.

11 Comments:

Anonymous Anónimo said...

É mais um filho da Mãe.

9:39 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Interessante, na minha deambulação pela blogesfera já tinha encontrado esse "ser" e, consequentemente, as acções que o seu post envolveu.

12:17 da tarde  
Blogger paulo baldaia said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

1:35 da tarde  
Blogger Gonçalinho said...

Mas que a História é lisonjeira (no mínimo) para com o Che, é verdade.

3:57 da tarde  
Anonymous am said...

Francisco José Viegas, na sua função de galo da capoeira dos "novos valores literários" em bicha para ir à televisão, decretou que o Valter voltou "corajosamente" ao tema. Já sabíamos que o vómito tinha Mãe; sabemos agora que também tem pai, ou, pelo menos, padrinho.

4:17 da tarde  
Blogger Mais Notas Soltas said...

Coitadinha da mãe dele...

5:15 da tarde  
Blogger jorge said...

eheheheheh...

epá vê lá se arranjas os links do post se não não dá para seguir a novela como merece!
abraço.

6:28 da tarde  
Blogger Sem cuecas said...

www.tiraacueca.blogspot.com

5:00 da manhã  
Anonymous maria said...

'much ado about nothing', não será? afinal se não fosse a pub do jmf poucos teriam dado conta das atoardas e a sua visibilidade à medida. O fjv tem ar de ser assim, como dizer?, boa pessoa, pronto. Até modera debates sobre blogs e tudo, é uma alma generosa.

6:39 da tarde  
Anonymous janio said...

Mas experimentem criticar os seus pontos de vista (isto é, os do fjv), mesmo sem usar sequer termos menos próprios. É ver o verniz a estalar e a grunhice primária a aparecer...
Concordo com o am do comentário acima. A mim não me engana, o fjv.

7:42 da tarde  
Blogger pedro said...

sem querer opinar sobre o assunto inicial ( o mito do cagalhão che ), deixa que te diga que este post é um bom cagalhão, uma vez que não ilucida, não contra-argumenta, não informa, não desmente. Fico com a sensação que o che foi um pretexto para dizeres que não gostas do "ser" Valter. dizer mal por dizer. investiga a história, por exemplo a de África.

9:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home